Suplementos de cálcio associados ao risco de demência em algumas mulheres.

Segundo um novo estudo, suplementos de cálcio podem estar associados a um aumento de risco de demência em mulheres idosas que tiveram um acidente vascular cerebral (AVC) ou outros sinais de doença cerebrovascular. A pesquisa foi publicada na edição online de 17 de agosto de 2016 da Neurology®, a revista médica da Academia Americana de Neurologia.

A doença cerebrovascular é um grupo de distúrbios que afetam o fluxo sanguíneo no cérebro. Essas doenças, inclusive o acidente vascular cerebral, são a quinta principal causa de morte nos Estados Unidos, além de aumentarem o risco de desenvolver demência.

"A osteoporose é um problema comum em idosos. Como a deficiência de cálcio contribui para a osteoporose, recomenda-se uma ingestão diária de cálcio de 1000 a 1200 mg. Conseguir esta quantidade recomendada com dieta sozinho pode ser difícil e é por isso que os suplementos do cálcio são amplamente utilizados," disse o autor do estudo Silke Kern, MD, PhD da Universidade de Gotemburgo na Suécia. "Recentemente, no entanto, o uso de suplementos e seus efeitos sobre a saúde tem sido questionada."

O estudo envolveu 700 mulheres sem demência entre as idades de 70 e 92 anos que foram acompanhadas durante cinco anos. As participantes fizeram uma variedade de testes no início e no final do estudo, incluindo testes de memória e habilidades de raciocínio. Uma tomografia computadorizada foi realizada em 447 participantes no início do estudo.

Os cientistas também analisaram o uso de suplementos de cálcio nas participantes e se elas foram diagnosticadas com demência ao longo do estudo. Um total de 98 mulheres estavam tomando suplementos de cálcio no início do estudo e 54 mulheres já tinham sofrido um acidente vascular cerebral. Durante o estudo, 54 mulheres tiveram AVC e 59 mulheres desenvolveram demência. Entre as mulheres que fizeram tomografias, 71 por cento tinham lesões na matéria branca de seus cérebros, que é um marcador para doença cerebrovascular.

O estudo descobriu que as mulheres que foram tratadas com suplementos de cálcio apresentaram duas vezes mais propensão a desenvolver demência do que as mulheres que não tomaram suplementos. Mas quando os pesquisadores analisaram mais detalhadamente os dados, descobriram que o aumento do risco foi apenas entre as mulheres com doença cerebrovascular. As mulheres com histórico de acidente vascular cerebral que tomaram suplementos tiveram um risco quase sete vezes maior de desenvolver demência do que as mulheres com histórico de acidente vascular cerebral que não tomaram suplementos de cálcio. As mulheres com lesões de substância branca que tomaram suplementos apresentaram três vezes mais chances de desenvolver demência do que as mulheres que tinham lesões de substância branca e não tomavam suplementos. Mulheres sem histórico de acidente vascular cerebral ou mulheres sem lesões de substância branca não apresentaram o aumento de risco ao tomar suplementos de cálcio.

Em geral, 14 das 98 mulheres que tomaram suplementos desenvolveram demência, ou seja 14 por cento em comparação com 45 das 602 mulheres que não tomaram suplementos, ou seja 8 por cento. Um total de seis das 15 mulheres com histórico de acidente vascular cerebral que tomaram suplementos desenvolveram demência, em comparação com 12 das 93 mulheres com histórico de acidente vascular cerebral que não tomaram suplementos. Entre as mulheres sem histórico de acidente vascular cerebral, 18 das 83 que tomaram suplementos desenvolveram demência, em comparação com 33 das 509 que não tomaram suplementos.

"É importante notar que nosso estudo é observacional, por isso não podemos supor que os suplementos de cálcio causem demência", disse Kern. O autor também observou que o estudo foi de importância limitada e que os resultados não poderiam ser generalizados para a população e que estudos adicionais são necessários para confirmar os resultados.

Kern observou que o cálcio dos alimentos afeta o corpo de forma diferente do cálcio dos suplementos e parece ser seguro ou mesmo protetor contra problemas vasculares.

O estudo foi apoiado por bolsas da Associação Americana de Alzheimer, Conselho Sueco de Pesquisa, Conselho Sueco de Pesquisa para Saúde, Vida Trabalhista e Bem-Estar.

 

Fonte: https://www.aan.com/

Tradução: Adelson Alves

Newsletter

Assine a nossa newsletter: