Crianças altamente sensíveis e obstinadas

 

 

 

Suas crianças lhe desobedecem? Elas recusam fazer determinadas coisas?

Autora: Maureen Healy

Foto tirada por Débora

Felizmente, nos últimos meses tenho trabalhado com pais pelo mundo, especialmente, com suas crianças teimosas. Uma das mamães me falou o seguinte: “minha filha recusa fazer certas coisas. Um dia, ficou esperneando e não foi para a escola. Como isso é possível? Quando eu era pequena, nós somente fazíamos o que nos era dito e íamos para escola.”

Então o que eu acho tão interessante é a tendência de crianças altamente sensíveis exibirem um alto grau de teimosia, terem personalidades fortes e recusarem, absolutamente, a fazerem certas coisas. Essa é a qualidade (juntamente com outras) que se manifesta nessas crianças que não estão aprisionadas em suas naturezas altamente sensíveis, mas é algo mais ... O que é isso? E o que fazer?

 

O traço da obstinação

A obstinação é considerada como um “apego forte e excessivo às próprias ideias, resoluções e empreendimentos,” então isso é correto. O que eu percebo emergindo em crianças altamente sensíveis por trás da sensibilidade é a energia desafiadora. Elas confiam em suas sabedorias intrínsecas que chamo de inteligência intuitiva versus autoridades exteriores. Em outras palavras, os meninos e as meninas altamente sensíveis não podem ser persuadidos por outras pessoas, porque a motivação deles é interior e quando eles querem fazer alguma coisa, fazem.

Então, o que fazer quando suas crianças altamente sensíveis lhes deixam sem graça? Eu tenho três sugestões simples que comigo funcionam:

1.  Associe-se a elas: muitas vezes, os pais e outros adultos dizem aos filhos o que eles devem fazer, ao invés de associar-se a eles. Isso é um problema. As crianças muito sensíveis ficam sensibilizadas com suas palavras, suas condutas, o tom de voz, o ambiente e com as atitudes que vão, completamente, de encontro a elas. Portanto, elas farão o que sabem fazer que é provocar, responder ousadamente, desrespeitar, recusar e outras demonstrações de raiva e frustações. Vocês precisam mudar suas abordagens e se tornarem parceiros delas, ainda que seja difícil, desafiador e a última coisa que vocês tenham que fazer... são essas atitudes que farão vocês economizarem tempo, energia e frustações.

2.  Negocie: Uma coisa que tenho aprendido é que as crianças “que representam um papel” precisam de algo que não sejam obrigadas a fazer. Portanto, façam perguntas do tipo: Como estão passando? Como posso ajudá-las? Porque vocês estão tristes? Vocês estão precisando de quê? Sim. Eu também sou uma proponente de negociação com as crianças. Eu transmito a mensagem correta. Basicamente, vocês estão dizendo, “sim, percebemos que você é um ser poderoso e que temos que fazer um acordo.” Novamente, é uma outra forma de fazer parceria com as crianças, a fim de que todos saiam vencedores. Não há nada de errado nisso!

3.  Inspire-se nelas: As crianças altamente sensíveis são bastante influenciadas pelas suas palavras, ações e pelo o que elas observam ao seu redor, portanto, utilizam-se disso. Henry, meu cliente da sexta série, se recusava a fazer o dever de casa, detestava matemática e se sentia um fracassado. Ele era extraordinário no basquete, então contei para ele como Michael Jordan lenda do basquete americano foi cortado de sua equipe de basquete quando era estudante do segundo ano da universidade e foi para casa chorar. Ele ficou espantado. Nós falamos então sobre a aprendizagem que os erros nos proporcionam e que tudo serve de trampolim para o nosso sucesso - porém devemos ser aplicados. Henry concordou em tentar fazer o dever de casa novamente.

Conclusão

Nossos filhos sensíveis não são somente sensíveis, mas também um conjunto de alta capacidade, inteligência e talento. São seres obstinados que nasceram para realizarem coisas grandiosas. Eu percebo que eles não são filhos acessíveis para os pais, para os professores e não são afeitos a conselhos. Entretanto, possuem potencial para serem grandiosos. Não apenas bons, mas verdadeiramente, grandes. É claro que muito disso repousa em nossos ombros e ao cultivarmos a grandeza deles, apoiando seus dons únicos, nós os ajudamos a canalizar sua teimosia de maneira produtiva.

 Fonte: https://www.psychologytoday.com/

 

Tradução: Adelson Alves

 

Newsletter

Assine a nossa newsletter: